Festa da Assunção de Nossa Senhora – Padre Mateusz Markiewicz [Sermão]

Sermão da Assunção da Santíssima Virgem

15 de Agosto 2018 – Belém do Pará.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém!

Ave Maria cheia de graça, o senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre Jesus…

Caros Confrades, caros fiéis!

É uma grande honra para mim festejar convosco esse décimo aniversário da missa tradicional em Belém. Muito obrigado pelo convite para celebrar essa missa, sobretudo nesse dia da Assunção da Santíssima Virgem Maria, ela que nos mostra de modo perfeito o caminho do céu, onde Deus quer ver todos os seus filhos.

Nesta bela festa da Assunção, a Igreja não celebra somente o simples fato de que Nossa Senhora foi salva por Deus. A Igreja celebra o fato de sua subida aos céus, e não apenas com sua alma, mas com seu corpo. Maria sobe aos céus tal qual estava sobre a terra, sem ter de esperar a ressureição no fim dos tempos. A santíssima Virgem já está no céu com seu corpo e sua alma, o que a torna diferente de nós, mesmo sendo uma de nós. Maria é diferente de nós não somente pela dignidade de ser mãe de Deus. Deus quis que ela fosse diferente para nos mostrar para qual perfeição Ele nos criou. Maria foi concebida sem a mancha do pecado original, ela recebeu a plenitude da graça, ela foi perfeitamente unida a Deus durante toda a sua vida, tanto na sua alma como no seu corpo. Maria vivia na terra como se ela já estivesse no céu. Ela nos mostrou o modelo de vida de um filho de Deus.

Nós, filhos de Deus, fomos criados por Ele, para conhecê-lo, amá-lo e servi-lo. E isso não apenas em nossa alma, mas em nosso corpo. O homem inteiro foi criado para conhecer, amar e servir a Deus. É para o homem o único meio para se chegar ao céu. Mas, infelizmente, nossa natureza é ferida pelo pecado original. Os desejos de nosso corpo são diferentes dos da alma, por exemplo, nós queremos guardar uma boa forma física, mas sucumbimos facilmente à tentação de comer um pouco mais de um bom prato. A alma quer uma coisa, mas o corpo quer outra. E esse conflito é presente, sobretudo na vida espiritual.

Nós queremos rezar com zelo, queremos estar próximos de Deus, mas os prazeres sensuais desse mundo,  e então o corpo, nos afastam dos mistérios divinos. A distração é fácil. Por isso nosso corpo tem necessidade de ser ajudado para estar junto de Deus. A Liturgia tradicional, graças a sua beleza, nos ajuda a dominar nosso corpo. O belo é o que atrai nossos olhos, nossos ouvidos. É ele quem capta nossa atenção. Além disso, graças à cooperação da alma com o belo que é perceptível pelos sentidos, nós podemos penetrar de uma maneira mais frutuosa a liturgia celebrada no altar. Podemos ainda constatar que a Missa Tradicional traz com ela muitas outras riquezas além das impressões estéticas.  Os gestos feitos pelo padre no altar desperta nossa vontade a saber por qual razão ele faz isso ou aquilo. Assim, nós somos levados à ler o texto que acompanha a ação do padre. E essa oração litúrgica, a oração da igreja feita com o corpo e a alma do padre, nos aproxima de Deus. Nós podemos gozar dos séculos de oração do toda Igreja e com ela, entrar no mistério de Deus, corpo e alma. Assim, nosso corpo e nossa alma trabalham juntos para nos ajudar a rezar, para nos ajudar a tornar-nos melhores católicos.

Os senhores que aqui estão reunidos para agradecer a Deus pelos dez anos da missa tradicional em Belém, sabem perfeitamente  a qual ponto essa missa transformou suas vidas de católicos. Os senhores sabem que a sua riqueza não se limita aos movimentos precisos do padre, dos acólitos, á um canto que atinge sua perfeição no coral gregoriano ou a polifonia ou enfim às igrejas barrocas. Os senhores sabem que tudo isso tem muito mais sentido, sabem que Igreja elaborou a Liturgia ao fio dos séculos com a preocupação de dar a Deus tudo o que é mais belo, mais perfeito, o melhor sobre a terra.  Os senhores compreenderam que sobre a terra, a missa é uma antecâmara do céu. Ela deve então colocar-nos  no serviço e no amor de Deus. Donde nossa ligação, muito mais que sentimental a essa missa que deu tantos santos à Igreja, que mudou a face de tantas regiões mudando-as de terras pagãs em terras católicas e que tem ainda o poder necessário para converter o mundo.

Nesse espírito de gratidão para com Deus, para com os homens que lhes ajudaram a ter a Missa tridentina em Belém, é importante lembrar que nós podemos sempre aproveitar mais e  melhor desse enorme bem que é a Liturgia tradicional. Ela muda nossas vidas e tem o poder de mudar a de muitas outras. Sejamos pois apóstolos da missa tradicional pela nossa atitude corporal durante a missa. Façamos tudo para que nosso corpo e nossa alma prestem atenção à tudo o que acontece na missa. Imitemos a Maria, servos do senhor, em nossa alma e em nosso corpo.

De fato, prestar atenção em todos os gestos e em todos os textos da missa nos parece impossível. Somos muitas vezes distraídos, seja por nosso corpo, pois está muito calor, seja por nosso espírito, que pensa somente em sair de férias num lugar mais fresco. É preciso pois tomar resoluções para facilitar a tarefa.  Tomemos a resolução de prestar atenção num momento particular da missa, por exemplo, o cânon. Essa resolução deve ser aplicada a várias missas e não só uma. Em seguida, será mais fácil de dominar-nos: atenção, os sinos tocam, o Cânon começa, concentre-se!  Aqui o sinal sonoro da sineta vai despertar-lhe e seu espírito pensará menos no calor e nos meios de escapar. O corpo pode ajudar o espírito, pois esse também corre o risco de cair em distração. Os senhores verão, se aplicam esse método de escolher o momento da missa para se prestar mais atenção, se são fiéis, virão os frutos pouco a pouco e perceberão que a graça de Deus cresce em seus corações. E essa graça vai ser cada vez mais rica na medida em que os senhores farão seus a doutrina contida na oração da Igreja, expressa no texto acompanhada pelo gesto.

Não esqueçamos sobretudo no momento de tristeza, que na aplicação dessa resolução não estamos sós. Nossa Senhora, Maria Santíssima está conosco. A Virgem Maria que nos ajudar a seguir seu exemplo de uma escrava do senhor, que o serve perfeitamente, no seu corpo e na sua alma. Ela quer nos ajudar, basta que peçamos. Podemos, por exemplo, rezar antes da missa com essas palavras: Maria, ajudai-me a seguir a missa de maneira atenta, façais que meus olhos prestem atenção no que acontece no altar, ao texto do meu missal; que meus ouvidos escutem  a música sacra, os textos da missa. Ajudai-me a ver nas cerimônias da missa um meio para me elevar ao céu, até o dia em que serei convosco, como vós, corpo e alma, assim seja.